jusbrasil.com.br
2 de Agosto de 2021

Sistema chileno de aposentadoria Cap.3 Para ganhar mais, arrisque mais.

Crise Sub-prime: Se Estados Unidos pega Gripe, nós pegamos pneumonia.

há 2 anos

Crise Sub-prime americana pontos A, B e C.

Em 2002, o então presidente Ricardo Lagos, cria um sistema chamado multifundos, estabelecendo-se faixas de risco, variando do “Fundo E”, que seria o mais conservador (como a poupança no Brasil), até o “Fundo A”, sendo este o mais volátil e com maior rentabilidade, podendo ser comparado ao mercado de ações brasileiro.

Como é conhecido no mundo dos investidores, quanto maior a rentabilidade, maior serão os riscos, e se maiores são os riscos, os ganhos serão na mesma proporção, mas ninguém na época, incluindo profissionais altamente capacitados, sabiam exatamente o que isto significava e os riscos que corriam.

O trabalhador chileno aprendeu da pior forma... Até finais de 2007, tudo estava correndo perfeitamente, as AFP’s, fazendo fortes investimentos no exterior, a economia americana continuava crescendo de maneira exponencial, e o contribuinte chileno injetando mensalmente dinheiro nas contas dessas instituições.

Mas, ninguém sabia o que estava por acontecer... Em 2008, surge o famoso escândalo conhecido como “crise sub-prime”, onde os Americanos descobriram que os empréstimos hipotecários não tinham qualquer garantia, resultando no desastre da economia mundial.

Caro leitor, vou te dar um exemplo real, o meu. Em 2008, começou com uma perda de nada mais do que 10% do dinheiro que tinha poupado com muito sacrifício durante alguns anos, o desespero já começou neste momento, para minha surpresa, não parou por aí, após algum tempo houve uma perda de 40%! do dinheiro que tinha na minha conta, ou seja, 50% do que tinha poupado, sumiu da noite pro dia... pense comigo, isso é como acordar sem metade do teu corpo, algo muito ruim né?

Mas e as AFPs, o que fizeram após essas perdas monumentais? Absolutamente nada. Inventaram histórias para poder acalmar nossas noites de insegurança, tais como “devemos olhar para o longo prazo”, “os resultados virão”, “papai noel existe”, dentre outros contos de fadas.

Além destas respostas, muito mal pensadas e que não tranquilizaram ninguém, continuavam as AFP’s cuspindo frases como “se você for jovem, poderá começar de novo”, “teremos tempo para nos recuperar”, o que na verdade queria dizer: “se você for velho, boa sorte”.

Nunca esquecerei daquilo que aprendi com toda essa situação, o sistema não me protege e o mercado é cruel.

Após 28 anos nesse sistema, aprendi que era bem melhor cuidar do nosso próprio dinheiro, caso uma crise estivesse emergindo, deveríamos trocar para fundos mais conservadores, prevenindo perdas mais graves, caso o mercado estivesse em alta, poderíamos trocar para fundos mais agressivos.

Muitos de nos após 28 anos de sistema apreendemos, não deixe seu fundo e esqueça, se você enxergar crise, troque a um fundo mais conservador, a perda será menor, e na medida em que você ficar mais velho vai para fundos mais conservadores, na verdade faça gestão de seu próprio dinheiro, é claro que você não pode tirar aquele dinheiro, só fara isso na sua aposentadoria, mais pelo menos cuide dele.

Importante salientar que, sou engenheiro e possuo mestrado em Administração (MBA) e mesmo assim, foi com os anos que aprendi como gerir melhor minha aposentadoria, imaginem o que aconteceu com os garis, pedreiros, e domésticas do meu País! Estas pessoas sofreram uma verdadeira injustiça do sistema, e ainda continuam sofrendo, recebendo a cada ano que passa, uma aposentadoria insuficiente e inumana.

Afinal de contas, para quem serve o sistema de capitalização chileno?

Serve para os empregados com carteira assinada (trazendo a comparação para o Brasil) e que o empregador destes possa pagar a contribuição obrigatória de 8% do salário, excluindo-se os contribuintes autônomos, empregadas domésticas, rurais e qualquer um que não se encaixe no conceito de empregado regular.

Uma herança da era ditatorial no Chile, e não poderia ter sido de outra forma, é a aposentadoria dos Militares, que podem se aposentar no nosso país, com apenas 45 anos, garantindo-se um montante generoso sem necessidade de contribuir ao sistema previdenciário comum... Isto perdura até os dias atuais.

Portanto, mais uma lição para você caro leitor, caso seu filho tiver um bom físico, gostar de esportes e quiser se aposentar cedo, indique o exercito como carreira, ele se dará bem melhor do que a gente...

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)